Não chegamos ao fundo do poço

Há uma década atrás, ninguém acreditaria que um time desconhecido, como o Independente, venceria o gigante Clube do Remo na semifinal do 2º turno do Campeonato Paraense, resultado que tiraria o Leão da final do torneio, da Copa do Brasil do ano seguinte, e da (humilhante) Série D. E jogando MUITO. Vitória merecida, essas coisas… Não, o Remo é imortal, imbatível.
A década passou. Na realidade do futebol paraense do 3º milênio, o que vemos é uma ascensão cada vez mais acentuada e plural dos clubes do interior no cenário estadual, sempre dominado pelo azul, seja marinho, seja celeste. Mas não pense você que este fenômeno seja causado pela grande evolução técnica e estrutural de times como Cametá, Independente, Águia e São Raimundo (que já tem um título nacional – a Série D de 2009 – na bagagem). Além disso, o que aconteceu foi a visível queda livre em que os nossos maiores times, Remo e Paysandu, entraram. Sem ainda ver o chão.
Quando o Paysandu ainda estava na SÉRIE A do Campeonato Brasileiro, há apenas 6 anos, e o Remo fazia boas campanhas na Série B e no Parazão, poucos eram os que se engraçavam no meio dos dois, que já eram favas contadas nas decisões. Hoje, enquanto o Papão amarga uma 3ª divisão há 4 temporadas, e o Leão sequer consegue vaga para disputar o limbo do nosso futebol (como aconteceu em 2009), surgem times que deixam de ser surpresas. Ganham dos “grandes” dentro e fora de casa, nem Mangueirão, nem Baenão ou Curuzú botam medo.
Ok, houve um grande avanço por parte de diversos destes clubes interioranos, como o Águia de Marabá, que ficou a um gol da Segundona de 2009, e o próprio São Raimundo, que foi o pioneiro em títulos nacionais, entre times do interior do estado. Os próprios Cametá e Independente, que decidirão a Taça Estado do Pará, uma vaga na final, na Série D e na Copa do Brasil do ano que vem, cresceram como time, ganharam o apoio dos torcedores, que passam a respeitar cada vez mais o pavilhão que ostenta as cores e o futebol de suas terras.
Porém é inegável que tudo isso foi (e é) fomentado pela incompetência de pseudo-cartolas da capital, que fingem entender de futebol, enquanto o time finge estar funcionando. Gestão. Essa é a chave, é aí que Remo e Paysandu estão errando. Pecam pelo mito idiota de que “quantidade é o que conta”. De que adianta trazer 500 jogadores no início da temporada, se antes da primeira metade do campeonato, mais da metade foi embora, trocada por mais 500? Estratégias equivocadas, um show de bolas fora, e no fim, quem paga o pato somos nós, os torcedores.
Sempre nós, iludidos pela paixão, independente de quem comande o clube. Mesmo assim, não podemos deixar que isto seja tudo. Apenas o senso crítico nos faz perceber que o futebol paraense não tem perspectivas de solução, enquanto a mentalidade bairrista e burra de quem manda não mudar. Enquanto isso não acontecer, vamos nos acostumando a quebrar a cara, e nos espantarmos com o espetáculo deprimente, que a cada dia ganha mais um ato melancólico. Ontem foi a vez do Remo, amanhã não se sabe. Nós ainda estamos muito longe do fundo do poço…

GUSTAVO FERREIRA, 18, torcedor do Paysandu, amante do bom futebol e indignado com o nosso.
Anúncios

Abertas inscrições para trabalhos científicos em evento da UEPA

Já é possível inscrever trabalhos para apresentação durante o InterLetras 2011, programação voltada aos alunos do curso de Letras da Universidade do Estado do Pará (Uepa) que pretende, esse ano, discutir a relação da literatura e da linguagem com o social e o político.
Os discentes devem inscrever seus projetos até 10 de junho pelo endereço eletrônico interletras@yahoo.com.br, enquanto que aqueles que quiserem apenas acompanhar as palestras deverão procurar a coordenação do curso, no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), ou se inscrever por e-mail a partir de 3 de junho até a véspera do evento. O InterLetras acontece entre os dias 22, 34 e 24 de
junho.

As palestras centrais acontecerão no auditório da biblioteca “Paulo Freire”, no próprio CCSE, e serão ministradas por professores convidados de outras universidades, como Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal do Pará (UFPA) e da própria Uepa. As temáticas tratarão da relação dos
artistas com a vida política, do uso integrador ou discriminatório da língua e do modo de a filosofia abordá-la. As apresentações de trabalho acontecem no mesmo local, após as palestras.

Os interessados em inscrever trabalhos devem buscar o formulário de inscrições no site do evento (ver link ao final da matéria). O material recebido será análisado e selecionado pela comissão científica do InterLetras, formada por professores indicados pela coordenação do curso de Letras, sendo os autores aprovados comunicados por e-mail.

Os demais participantes, que só se inscreverão a partir de 3 de junho, devem procurar a coordenação do curso, no bloco I do CCSE, entre 8h e 12h e entre 16h e 20h, ou enviar e-mail com a ficha de inscrição (também disponível no site do evento) preenchida para o mesmo endereço, interletras@yahoo.com.br, e fazer depósito identificado na Caixa Econômica Federal (CEF) em favor de Wenceslau Otero Alonso Júnior, agência 4110, operação 13, conta poupança 00021729-9. Universitários pagam R$ 15 antecipado e R$ 20 no dia do evento, enquanto que professores pagam R$ 20 e R$ 25, respectivamente. No momento do credenciamento, ao apresentar o comprovante do depósito, o inscrito receberá material referente ao evento e passe livre para participar de todas as atividades.


SERVIÇO O InterLetras recebe inscrições de trabalhos científicos até o dia 3 de junho pelo e-mail interletras@yahoo.com.br, e as inscrições para participantes acontecem a partir de 3 de junho até o dia do início da programação, realizada na biblioteca “Paulo Freire” do CCSE (Trav. Djalma Dutra, s/n – Telégrafo), entre os dias 22, 23 e 24 de junho. Informações: (91) 4009-9505. Mais informações no Blog do InterLetras 2011.
Texto: Angélica Lopes (Centro Acadêmico de Letras Eneida de Moraes – CALEM/UEPA) – @aesfinge

Cartaz do Círio 2011 é lançado no CAN

Peça traz fotos dos fiéis, e foi revelada durante celebração na Praça Santuário, nesta sexta (27).

Gustavo Ferreira (@gusdferreira)
Cartaz oficial do Círio 2011
 (Foto: Reprodução/ Mendes Comunicação)


Em uma cerimônia presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Pereira, com a presença da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, foi conhecida uma das marcas registradas do Círio de Nazaré, desde 1882. O Cartaz Oficial, presença garantida nas portas das casas dos devotos até o fim da Festa, trouxe uma novidade marcante: a presença dos próprios fiéis.
Desde fevereiro, foi aberto um link no site do Círio de Nazaré, permitindo que cada um pudesse mandar uma foto sua, respondendo a pergunta “Por que você quer que a sua foto faça parte do cartaz do Círio 2011?”. As melhores respostas foram selecionadas, e de acordo com a diretoria de marketing da Festa, 500 fotografias foram contempladas, o que pode resultar em uma segunda versão.

Durante a Homilía, o Arcebispo ressaltou a importância desta peça para o povo paraense e para a Igreja. É um instrumento privilegiado de evangelização”, disse Dom Alberto sobre o cartaz. O evento faz parte do calendário oficial de eventos do Círio de Nazaré, e desde 2007 é aberto ao público.
Apresentação do Cartaz no CAN (Foto: @CirioOficial)
O CARTAZ A peça foi apresentada em uma estrutura de 4 lados, de 5m de altura por 3m de largura, montada acima do altar da Praça Santuário, por volta das 20h30. Ao ser apresentado o cartaz, foi destacada a importância e a grande divulgação e procura por ele, por parte dos fiéis.
Com tiragem de 800 mil exemplares, o cartaz é um produto da Mendes Publicidade, realizado por Luciana Nahum e Gustavo Quintela, do Estúdio GQ. Várias versões do cartaz, em cores diferentes, serão confeccionadas, e quem ainda quiser enviar uma foto para participar, ainda pode. Basta acessar o site (HTTP://ciriodenazare.com.br/cartaz2011) e seguir as instruções.

Resumão – Sex 27.05.11

AMY ESTÁ DE VOLTA À ATIVA… NA REHAB

Não adianta dizer “não, não, não”! A estranha cantora Amy Winehouse, que tem bebida até no nome, voltou a se internar em uma clínica de reabilitação para viciados em drogas como pagode e textos de Walter Benjamin e álcool em Londres. A pedido do pai, a cantora deu entrada na clínica, para tentar estar normal nas apresentações que fará na Europa, em breve.Não é à toa que o maior sucesso dela seja justamente um hino dos viciados reincidentes: Rehab.
Fonte: Estadão 

ELES NUNCA ME ENGANARAM!!! MÔNICA E CEBOLINHA SE BEIJAM

Depois de quase 60 anos, finalmente saiu o primeiro beijo deste casal platônico, um dos mais famosos do Brasil. Agora que a turma cresceu, a edição 34 da Turma da Mônica Jovem, entitulada “Quer namorar comigo?”, estampará na capa o tão famigerado malho, mais esperado até do que a revelação de quem matou Odete Roitman. Maurício de Souza quer aproximar suas histórias da realidade da juventude, e por isso a ousadia (imaginários infantis serão totalmente afetados, inclusive o meu, depois do beijo de Cebolinha e Mônica). Nas bancas a partir de hoje.
Fonte: DO
SÃO PAULO PERDE MAIS UMA: O IBC DA COPA 2014 SERÁ NO RIO

IBC, pra quem não sabe, é a sigla em inglês para Centro de Imprensa Internacional, local que reúne todos os veículos de comunicação do planeta, que vem cobrir um evento importante. No caso da Copa 2014, o Rio de Janeiro venceu Brasília e São Paulo, e sediará o IBC. O Riocentro, um dos maiores centros de convenções do país, receberá obras para acolher o Centro de Imprensa. Mais uma derrota na lista da maior cidade do país, que já está fora da Copa das Confederações de 2013 e, por ainda não ter estádio (devido à impasses na construção do Itaquerão), pode até ficar DE FORA do Mundial, daqui a 3 ANOS. Natal também pode cair fora. Esse é o Brasil da Copa!!!
Fonte: G1 

O injustiçado Robgol ficou na mão

Juiz não devolve os R$ 500 mil apreendidos no apartamento do ex-deputado. Sim, ele PEDIU DE VOLTA!
Fonte: Portal ORM
Será que VOCÊ também é um dos
contratados da Alepa e não sabe?
(Foto: ???)
Uma dentro da nossa justiça! O ex-deputado (e 2º maior atacante do Paysandu, depois do Zé Augusto) Robgol, do PTB, pediu para que os quase R$ 500 mil apreendidos em seu apartamento, no dia 19 do mês passado. E todos sabemos que esse dinheiro seria fruto de um esquema de corrupção, que envolve funcionários-fantasma e desvio de grana da Assembléia Legislativa do Estado, que todo o Brasil já conhece, e a cada dia vai aumentando mais, e queimando mais filmes.
Mas não adiantou. O juiz da 1ª Vara de Inquéritos Policiais, Pedro Sotero, barrou a devolução desta fortuna suja, acatando o recurso do Ministério Público do Estado, que investiga o envolvimento do jogador no escândalo da ALEPA. Robgol tinha vários parentes contratados como assessores parlamentares, muitos deles vivem NA PARAÍBA. Quem ficava com os salários e com os vales correspondentes (R$ 40 mil, também descobertos no apê do Excelentíssimo), hein?
Ele bem que tentou recorrer à Receita Federal, no início do mês, usando suas declarações do Imposto de Renda para limpar sua barra e provar a legalidade do dinheiro. Agora a própria RF terá que se declarar sobre todos os bens de Robgol, enquanto foi membro da Alepa (2007-2010). Na próxima terça (31), o ex-deputado e ex-atleta vai ter que falar e explicar (se puder) de que mangueira caiu tanto dinheiro.