OQFNFDS #2

Também não quer ficar em casa? Então olha O Que Fazer No Fim De Semana #2.
Fonte: Guiart
NUA IDEIA Esse é o nome do show da bela Juliana Sinimbú, comemorando seus cinco anos de carreira. A cantora e (agora) compositora continua homenageando grandes nomes da MPB, como Cartola, Tom Zé e Roberto “Beija-Flor” Carlos, porém com um ingrediente mais intimista às suas apresentações. Elogiadíssimo, o show “Nua Ideia” conta com vários convidados, como Aíla Magalhães e Lia Sophia.
Quando: todos os sábados de junho, 19hs | Quanto: R$ 0 | Onde: SESC Boulevard (Av. Boulevard Castilhos França 522. Campina (em frente a Estação das Docas)

KUNG FU Lembram do Po? É, aquele panda fera nas artes marciais? Agora ele é um Dragão Guerreiro, e vai ter que lutar contra o malfeitoso Lorde Shen, para salvar o kung fu (e a própria China). E para isso, Po terá que voltar às suas origens e ir aos limites de seu conhecimento. “Kung Fu Panda 2” está em cartaz nos cinemas da cidade, e é uma ótima pedida pro fim de semana. Confiram!

Quando: Hoje, amanhã, até sair de cartaz | Quanto: depende do cinema | Onde: idem

FAKE PARTY O Café com Arte vai ser o lugar de quem quer ser outra pessoa esta noite. É a “Toda Fake Party”, uma balada onde a galera pode ser quem quiser, levar os amigos e curtir muita música eletrônica, com DJs consagrados na cena, além de novos talentos, na última festa do semestre. Boa pedida de curtição pra noite de sábado. E tirem as crianças da sala, a festa é só para quem é “de maior”.

Quando: Hoje (25), 22h | Quanto: R$ 15 (antecipados até 0h) e R$ 20 (a partir de 0h) | Onde: Café com Arte (Tv. Rui Barbosa, entre Nazaré e Bráz de Aguiar, 1437)

MISTÉRIO Pra quem gosta de suspense, uma opção é passar aqui na Campina, pertinho de casa, pra conferir a peça-filme “O Misterioso Desaparecimento de Deborah Rope”, no Espaço Cuíra. Com uma mistura de personagens reais e virtuais, a história de Saulo Sisnando envolve romance, sedução, tramas psicológicas e uma boa dose de mistério.

Quando: Todos os sábados e domingos do mês, 21hs | Quanto: R$ 20 (com meia para estudantes) | Onde: Espaço Cuíra (Rua Riachuelo, esquina com Tv. 1º de Março)

É CAMPEÃO Amanhã é dia de soltar o grito de campeão paraense de 2011. Paysandu ou Independente, um dos dois times sairá do Mangueirão com a taça erguida, depois de um empate no 1º jogo, em Tucuruí, por 2 a 2 no domingo passado. Quem vencer leva, e um novo empate é sinônimo de pênaltis. Papão em busca do tri, o 45º caneco, e Galo Elétrico, pronto pra ser o 1º time do interior campeão. Promessa de jogão? Claro que não. Afinal, é futebol paraense…

Quando: Amanhã (26), 16hs | Quanto: R$ 15 (arquibancada) e R$ 50 (cadeira) | Onde: Mangueirão (ou na sua casa, ligando na TV Cultura)

MAIS PAVULAGEM Amanhã rola o 3º Arrastão Junino, saindo da Escadinha do Cais do Porto, até a Praça da República. Acho que você já foi a algum ao contrário de mim e sabe o quanto é bacana. Acorda cedo e vai!


Artistas paraenses fazendo barulho na terra alheia

2ª edição do festival Terruá Pará começou ontem, em São Paulo, e abriu espaço para a nossa música. Evento encerra hoje.

Gustavo Ferreira
Fonte: R7

Terruá: do francês “terroir”, que significa algo como “aquilo que é da terra”. Nome acabocado e muito apropriado ao festival que tem no DNA a difusão da cultura papa-chibé em todo o país. Esse é o Terruá Pará, que em sua 2ª edição (a 1ª foi realizada em 2006), reúne no Auditório Ibirapuera, em São Paulo uma constelação de artistas parauaras, do carimbo ao tecnomelody, provando que o nosso estado pode ser mais do que o “lugar onde matam gente no campo”.
O evento, promovido pelo Governo do Estado, começou na noite de ontem com o grupo Uirapuru, levando o puro carimbo para os mais de dois mil presentes ao Auditório. Depois as cortinas subiram, e foi a vez do folclórico Sebastião Tapajós, acompanhado do Trio Manari e da Orquestra Juvenil de Violoncelistas da Amazônia, com números instrumentais de muito bom gosto.
Mas foi com a entrada de Dona Onete, setentona, uma espécie de Gaby Amarantos no fim do século, que o público levantou da cadeira. A mulher dançou, dançou, dançou mais ainda, e não parava de dançar. Mostrando um vigor de menininha, a cantora empolgou a todos com seu carisma, acompanhada das meninas do Charme do Choro, lindas e talentosas.
BATIDÃO Depois de Paulo André Barata, que homenageou o pai, o grande Ruy Barata (se estivesse vivo, completaria 91 anos), a cantora Lia Sophia subiu ao palco, e com ela o cenário ganhou tons mais alegres e vibrantes, como é a nova música paraense.
E a festa ficou amais animada com a chegada do batidão da Gang do Eletro (que, sinceramente, eu NUNCA ouvi falar), do brega clássico do “pirangueiro” Edilson Moreno e da nossa Beyoncé (estamos bem servidos, né?), Gaby “CHAAARQUE” Amarantos, e aí o povo no Auditório Ibirapuera já não cabia mais nas cadeiras.
No final, o grupo Uirapuru voltou ao palco, fechando a noite como abriu, ao som de muito carimbo. Carimbó que contagiou as pessoas do lado de fora, após o encerramento da primeira noite do Terruá. Hoje é a última noite do festival, com transmissão ao vivo pela TV Cultura, a partir das 21hs, e pelo portal do Terruá Pará na internet.