Artistas paraenses fazendo barulho na terra alheia

2ª edição do festival Terruá Pará começou ontem, em São Paulo, e abriu espaço para a nossa música. Evento encerra hoje.

Gustavo Ferreira
Fonte: R7

Terruá: do francês “terroir”, que significa algo como “aquilo que é da terra”. Nome acabocado e muito apropriado ao festival que tem no DNA a difusão da cultura papa-chibé em todo o país. Esse é o Terruá Pará, que em sua 2ª edição (a 1ª foi realizada em 2006), reúne no Auditório Ibirapuera, em São Paulo uma constelação de artistas parauaras, do carimbo ao tecnomelody, provando que o nosso estado pode ser mais do que o “lugar onde matam gente no campo”.
O evento, promovido pelo Governo do Estado, começou na noite de ontem com o grupo Uirapuru, levando o puro carimbo para os mais de dois mil presentes ao Auditório. Depois as cortinas subiram, e foi a vez do folclórico Sebastião Tapajós, acompanhado do Trio Manari e da Orquestra Juvenil de Violoncelistas da Amazônia, com números instrumentais de muito bom gosto.
Mas foi com a entrada de Dona Onete, setentona, uma espécie de Gaby Amarantos no fim do século, que o público levantou da cadeira. A mulher dançou, dançou, dançou mais ainda, e não parava de dançar. Mostrando um vigor de menininha, a cantora empolgou a todos com seu carisma, acompanhada das meninas do Charme do Choro, lindas e talentosas.
BATIDÃO Depois de Paulo André Barata, que homenageou o pai, o grande Ruy Barata (se estivesse vivo, completaria 91 anos), a cantora Lia Sophia subiu ao palco, e com ela o cenário ganhou tons mais alegres e vibrantes, como é a nova música paraense.
E a festa ficou amais animada com a chegada do batidão da Gang do Eletro (que, sinceramente, eu NUNCA ouvi falar), do brega clássico do “pirangueiro” Edilson Moreno e da nossa Beyoncé (estamos bem servidos, né?), Gaby “CHAAARQUE” Amarantos, e aí o povo no Auditório Ibirapuera já não cabia mais nas cadeiras.
No final, o grupo Uirapuru voltou ao palco, fechando a noite como abriu, ao som de muito carimbo. Carimbó que contagiou as pessoas do lado de fora, após o encerramento da primeira noite do Terruá. Hoje é a última noite do festival, com transmissão ao vivo pela TV Cultura, a partir das 21hs, e pelo portal do Terruá Pará na internet.
Anúncios

Depois de ver, que tal deixar sua opinião? O Repórter E agradece.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s