Internet de graça em Salinas e Mosqueiro promete aumentar freqüência (de ladrões) nas praias

Com o Navegapará, veranistas agora poderão usar seus notebooks e celulares tranquilamente nas praias do Atalaia e Murubira. Ou não.

Fonte: Portal ORM, com informações de Agência Pará
Ótima notícia para aqueles que não conseguem desgrudar do Twitter e do Facebook, nem mesmo na praia! Salinas e Mosqueiro serão os mais novos contemplados pelo Governo do Estado, com internet gratuita.
No sábado, 23, a praia do Atalaia, em Salinas, será a primeira a ser inaugurada. Em Mosqueiro, os serviços serão abertos aos veranistas no domingo, 24, na orla do Murubira. O projeto é resultado da união entre a Empresa de Processamento de dados do Pará (Prodepa), através do Navegapará, programa do Governo que leva internet de graça ao povo (é sempre o stand mais lotado na Feira do Livro), juntamente com a Secretaria de Segurança do Estado (SEGUP).

Segundo Theo Pires, presidente da Prodepa, a implantação das áreas de livre acesso à rede será uma ferramenta auxiliar na vigilância das pessoas nos dois points. “A infraestrutura de telecomunicação foi projetada para suportar os acessos às câmeras de segurança, com imagens disponibilizadas à Segup”, diz Theo. A CIOP (Central Integrada de Operações) irá instalar câmeras nos locais.

Ainda segundo o presidente da empresa, a iniciativa seria um fomento no processo de inclusão digital no Pará. “O conceito principal é o crescimento sustentável do Navegapará. Queremos cada vez mais facilitar o acesso da população à internet. Os pontos serão permanentes”, afirmou.

O detalhe é que o projeto vai buscar o milagre de incluir 20 pessoas, simultaneamente, no mundo digital, através da internet. Sim, pois esse é o limite suportado pelos 14 Mbps, distribuídos em pontos de 256 Kbps. Duvido muito que o limite será alcançado, já que alguém sensato não tiraria o computador da bolsa e usaria, em pleno Murubira. 

O Pará no topo…

… do ranking de desmatamento na Amazônia, em junho, segundo pesquisa do Imazon.

Fonte: DOL, com informações da Ascom Imazon

Olhem essa nova: o Imazon revelou, nesta sexta, 22, o balanço mensal da devastação da Amazônia Legal, no mês de junho. Nada legal foi o resultado. Dos 99 km² de área verde desmatada no mês passado, registrados pelo SAD, o estado onde mais Amazônia sumiu foi o Pará. Comemore, meu querido! Estamos no topo novamente.

45% da área devastada está em território paraense, 25% no Mato Grosso, 20% no Amazonas e 10% em Rondônia. Um alento é a redução de 42% do desmatamento, se comparado com junho de 2010, quando 172 km² sumiram do mapa.

Porém, de agosto de 2010 a junho de 2011, foram 1.534 km² destruídos, o que representa um aumento de 15% em relação ao período anterior (agosto de 2009 a junho de 2010).  

Clique, amplie e veja a situação da Amazônia, no mês de junho.
(Foto: SAD/Imazon)
DEGRADAÇÃO Os números não são nada bons também quanto a degradação da Amazônia. Mas dessa vez não somos os primeirões. A Amazônia Legal teve 193 km² de área degradada no mesmo mês de junho de 2011. 44% no Mato Grosso, seguido pelo Pará (28%), Rondônia (21%), Amazonas (6%), e Acre (1%).

A degradação florestal acumulada entre agosto de 2010 e junho de 2011 somou 6.274 km². Em relação ao período anterior (agosto de 2009 a junho de 2010), quando a degradação florestal foi de 1.715 km², houve uma pequena alta: 266%!