5

O Brasileirão 2011 por cinco lados

Do que é feito um grande campeonato de futebol? Atletas de elite, equipes bem estruturadas, golaços, frangos, jogos que ficam na memória? Some isso a goleadas históricas ao estilo Davi X Golias, rivalidades, um espetáculo nas arquibancadas. Assim foi o Campeonato Brasileiro de 2011, um dos mais inconstantes da década. Quem não tinha chance na rodada 19, conquistou vaga na Libertadores. Quem estava no G4, depois G5, morreu na praia. Grandes campeões rebaixados, luta pelo título até o final, e uma conquista absoluta do Corinthians. O Repórter E, que acompanhou toda a competição, traz uma análise sob cinco aspectos marcantes do Brasileirão da Fiel.
Deivid só assistiu, incrédulo, o Dragão goiano engolir o Flamengo, em pleno Engenhão: 4 x 1, na 17ª rodada
(Foto: GOOGLE)
GRANDES JOGOS Sim, em 2011 o torcedor teve vários motivos pra levantar do sofá, chorar, xingar, zoar o amigo, gritar gol. Alguns jogos foram de encher os olhos, com atletas de nível internacional, pratas da casa, desconhecidos e revelações. Borges, um artilheiro maiúsculo, com 23 gols, poderia ter sido apenas um atacante do Santos. Não foi. Santos X Flamengo poderia ter sido apenas mais um jogo. Não foi. Nem o futebol-arte de Neymar foi capaz de segurar o Mengão do Gaúcho. O mesmo Flamengo que apanhou feio do Atlético GO, em casa, 4 X 1. O próprio campeão chegou a golear, acidentalmente, grandes equipes. Mas isso é detalhe. Jogos pra sempre.
Nem “Papai Joel” deu jeito. O Cruzeiro se salvou por pouco, numa temporada pra se esquecer nas Minas Gerais.
(Foto: GOOGLE)
FIASCO MINEIRO Não teve pão de queijo que desse força pra trinca mineira em 2011. Lá entre os seis últimos, talvez a pior campanha do futebol de Minas Gerais no Brasileirão, ficaram Cruzeiro, Atlético e América. O Coelho, além de Ceará, Atlético PR e Avaí,foi rebaixado. Fez o bate-volta, subiu e desceu rapidinho, apesar de vencer grandes times, como Fluminense e Botafogo. A situação do Galo foi marcada pelo sofrimento de várias rodadas na zona de rebaixamento, salvo na penútlima rodada, ao contrário do Cruzeiro. A Raposa precisou golear o maior rival (6×1) no último jogo, pra não cair. O caso do Cruzeiro foi o mais eloqüente. Na Libertadores, foi eliminado em casa, nas oitavas, como a melhor equipe da primeira fase, e daí foi ladeira abaixo. Sem Libertadores nem Sul-Americana, a solução vai ser esperar que 2012 seja um ano melhor.

Luxemburgo levou o Fla à Libertadores. (Foto: adivinha?)
DEIXA EU ENTRAR! Uma vaga. Seis times. Há tempos que uma vaguinha na Libertadores não era tão ferrenhamente disputada. Corinthians e Vasco se garantiram cedo (o Time da Colina muito cedo, por sinal). O Fluminense, que chegou até a pensar em título, ficou em terceiro e tá lá. Daí pra baixo, a briga foi até o fim. O Botafogo brigou, mas patinou como sempre e ficou pelo caminho. Engraçadinho, o Figueirense, de repente, se viu como favorito e jogando bem. Não deu. Faltando uma rodada pro Brasileirão acabar, o Coritiba chegou ao G5 precisando vencer pra carimbar o passaporte. Não deu. O São Paulo… Bom, o 6º lugar ficou de ótimo tamanho pra uma equipe que desandou no segundo turno, mesmo largando tão bem, com cinco vitórias em cinco jogos. Quem se deu bem? Flamengo e Internacional.

Homenagem dos jogadores a Ricardo Gomes, que sofreu um AVC no meio do campeonato. O Vasco voltou a ser Gigante. (Foto: –‘)

VASCO: O RENASCIDO 2011 será, sem dúvidas, um ano inesquecível pra qualquer torcedor vascaíno. De um time sem respeito, rebaixado à série B em 2008, o Vasco da Gama voltou a protagonizar o futebol brasileiro, conquistando a Copa do Brasil e a vaga pra Libertadores 2012, depois de 11 anos. Com a experiência de Felipe e Juninho Pernambucano, a categoria (eventual, é verdade) de Diego Souza, e a juventude de Bernardo e Dedé, o Trem Bala não desistiu do Brasileirão, até a última rodada, brigou pela taça com o Corinthians. O treinador Ricardo Gomes deu um susto em todos, ao sofrer um AVC no clássico contra o Flamengo, na 19ª rodada, substituído pelo competente Cristóvão Borges. Porém, isso não foi o suficiente para derrubar os guerreiros de São Januário, que lutaram até o fim. “Vice de novo”, diriam torcedores do Brasil inteiro, mas o torcedor vascaíno não tem do que reclamar.

Tite, o grande responsável pelo título alvinegro. E eu nem falei da CBF… (Foto: como todas as outras… GOOGLE)

CORINTHIANS: O CAMPEÃO Vice no Paulistão? Eliminação traumática (e muito engraçada) na Pré-Libertadores? Um ano que poderia ser desastroso para a segunda maior torcida do país terminou sob os louros da glória. Com uma equipe nas mãos, Tite os conduziu ao pentacampeonato brasileiro como um mestre. Liédson chegou pra somar (pouco, mas somou), Emerson fez o que pode, Julio César se destacou no gol, Alex salvou muitos jogos. Além de Adriano, figura mitológica, importante no fim do ano. Após 27 rodadas na liderança, 21 vitórias e uma vaga pra Andrés Sanchez na CBF, a Fiel comemora, no dia em que perdeu um de seus maiores ídolos, Sócrates. Parabéns ao mais novo campeão brasilEI, DEVOLVE MEU NOTEBOOK AÊ!!! 
Anúncios

Depois de ver, que tal deixar sua opinião? O Repórter E agradece.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s